Há luzes no meu céu

(sem título)

Eu não sei se alguma coisa mudou. Se o quero saber caso se confirme. A imaginação dói um bocado demais e o silêncio não ajuda, por isso permite-me o devaneio. Isto é um bocado diferente do que eu estava à espera. Eu sou um bocado diferente do que eu estava a espera. Não sinto falta de metade das coisas de que antecipei outrora. Arrisco dizer até que não sinto falta de quase nenhuma. É estranho. É imensamente estranho. Mas há algo que se manteve. Que não se alterou desde há já tanto tempo. Esse algo és tu. Ou melhor, é o que tu és em mim. Não há dia que passe sem que pense em ti. Mas eu sei que isto soa mal. Eu sei que estas palavras têm apenas o valor que têm. E eu sei que as coisas podem já não ser iguais. Contudo, pareceu-me importante que o dissesse. A imaginação dói um bocado demais e o silêncio não ajuda, e pareceu-me importante que o dissesse. É só.